YouTube muda as regras de monetização

YouTube muda regras de monetização
YouTube muda regras de monetização

A partir de 20 de janeiro de 2018, o Programa de Parcerias do Youtube (YPP), sofre alterações para suas regras de monetização. Embora continue com a meta de manter o YouTube disponível ao máximo de canais possível, é preciso de mais medidas de proteção em vigor para preservar a receita dos criadores de conteúdo no ecossistema.

O que muda?

No âmbito dos novos requisitos de qualificação para geração de receita, está o limite de 4.000 horas de tempo de exibição nos últimos meses e 1.000 assinantes. O canal que não atingir esse objetivo perderá o acesso a todas as ferramentas de geração de receita e aos recursos associados ao Programa de Parcerias do YouTube, a menos que ultrapasse esse limite nos próximos 30 dias.

Um dos principais valores do YouTube é permitir que qualquer pessoa ganhe dinheiro com um canal de sucesso Os criadores de conteúdo que ainda não atingiram esse novo limite podem continuar a se beneficiar da Escola de Criadores de Conteúdo, da Central de Ajuda e de todos os recursos no site Criadores para expandir os canais.

Fonte: Equipe do YouTube

Instagram VS Snapchat: A briga pela audiência


posts_blog_adi

 
Na última terça-feira, dia 02/08, o Instagram lançou um recurso já bem conhecido pelos usuários do Snapchat. Agora, a pessoa pode postar fotos ou vídeos para todos ou alguém específico e os mesmos ficam temporariamente publicados: 24h.

Todo mundo percebeu a cópia descarada, mas a nova utilidade está agradando, visto que muitos ainda não usam o Snapchat, que se tornou uma ameaça para a turma do Zuckerberg. Com essa nova funcionalidade, é possível verificar quem visualizou suas atualizações e conhecer quem é o seu público-alvo, podendo então, mensurar e bolar novas estratégias de publicação.

Primeiramente, o Facebook comprou o Instagram ao perceber o crescimento exponencial do aplicativo e a diminuição de tempo gasto na plataforma do Facebook. Os jovens dos EUA, começaram a abandonar o FB para usar outros meios, como Instagram ou Whatsapp, aplicativos que acreditavam ter maior privacidade e controle de quem visualiza seu conteúdo. Veio a nova onda, com a explosão do Snapchat. Cansados das poses e filtros do Instagram, o aplicativo se popularizou pelo jeito mais espontâneo e pela possibilidade de mostrar mais a vida real, além dos filtros lúdicos, que traziam diversão.

O Facebook tentou comprar o Snapchat por 3 bilhões de dólares, mais que o dobro que pagou pelo Instagram, mas teve a oferta recusada. Hoje, o Snapchat vale 19 bilhões e entrou na mira do FB. Agora, com a possibilidade de gravar fotos e vídeos do dia a dia, usuários do Snapchat estão voltando para o Instagram, já que é mais fácil usar um aplicativo só. Com isso, o tempo gasto no Instagram vai aumentar, contribuindo com a monetização do aplicativo com a inserção de mais publicidade.

No mundo do Marketing Digital, as coisas acontecem num piscar de olhos e é preciso estar atento às mudanças e se adaptar rapidamente para não perder o market share.

Oportunidade única de ter sua loja virtual com a melhor plataforma de e-commerce do Brasil com muito mais segurança!

Certificado de segurança gratuito

 

 

 

 

 

 

 

A Fastcommerce, parceira de e-commerce da ADI, está oferecendo certificado SSL gratuito para todos os domínios hospedados no sistema. Ao acessar a loja, o visitante verá um cadeado segurança na barra de endereço do navegador, já a partir da página inicial e não somente no checkout. Os clientes se sentirão mais seguros em navegar e comprar!

O endereço de todas as páginas da loja começará automaticamente com https://, da mesma forma que ocorre ao acessar o Google, Facebook e o YouTube.

Esta melhoria está sendo estimulada pelo Google, que considera o uso do https um fator importante na ordenação dos resultados das buscas. Além disso, o navegador Chrome em breve mostrará um assustador X vermelho na barra de endereço se este não começar com https, para alertar que a página acessada não usa protocolo de segurança.

Outra novidade importante é que todos os certificados SSL serão renovados automaticamente pelo Fastcommerce, sem custos e sem complicações.

Mais segurança para sua loja vender mais e melhor!

Experimente! https://www.fastcommerce.com.br/home.asp…

Como será o Facebook no futuro?

Facebook no futuro
Facebook no futuro

O Facebook não é somente uma rede social, é uma plataforma de conteúdo e líder de audiência. E como tudo em tecnologia evolui, o Facebook também muda constantemente. E como será em um futuro próximo?

Segundo tuitou Jason Stein (CEO de uma agência de publicidade de social media), o Facebook está adicionando um feed com base em interesses pessoais. Um jornal feito de conteúdos especializados, composto de todos os jornais do mundo.

Esta é uma visão previamente articulada pelo CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, que uma vez disse que esperava que sua plataforma fosse um perfeito jornal personalizado para cada pessoa do mundo. Texto, fotos e links externos ainda são a principal fonte de conteúdo compartilhado na rede. Em 2004, proclamou que em cinco anos, vídeo seria o formato de conteúdo dominante, visto que o custo de produção está caindo e a oferta de banda larga aumentando. Se as pessoas querem consumir estes vídeos, é ainda uma questão em aberto.

O Facebook, com sua poderosa ferramenta de algoritmo, vem tentando descobrir nossos gostos pessoais com base na nossa interação, no que nossa rede de contatos está interessada e em outros fatores. Esta mudança vai melhorar a experiência do usuário, já que as pessoas vão ver os assuntos que mais gostam, com conteúdo mais relevante, passando a gastar mais tempo na plataforma.

 

10 dicas de compras pela Internet

O e-commerce brasileiro cresce cada vez mais, impulsionado por promoções (Black Friday), preços mais baixos que nas lojas físicas e pela comodidade. Porém, é preciso atenção para evitar dor de cabeça futura e ter uma boa experiência de compra.

Confira 10 dicas de compras pela Internet:

1. Verifique se a loja é confiável, simplesmente digitando no Google: “nome da loja” é confiável? E leia as recomendações dos consumidores da loja. Sites ruins geralmente são campeões de reclamações.

2. Pesquise se a loja oferece cupons de desconto, fazendo uma varredura em mecanismos de busca. Mesmo que um produto esteja mais barato, com o código, o preço cai mais.

3. Antes de finalizar a compra, veja se o navegador possui um cadeado no rodapé e se na url (endereço que você digita no navegador) aparece https ou invés de http, o que significa que você está entrando em um ambiente seguro.

4. Desconfie de preço muito abaixo da média que é oferecido pelo mercado. Ele pode ser falsificado ou estar com validade vencida ou prestes a expirar.

5. Veja se a loja é atuante nas redes sociais (twitter, facebook, instagram). Existem muitas lojas “presentes” nas redes sociais, mas que ignoram as mensagens de usuários. Em contrapartida, existem outras que respondem quase instantaneamente sua dúvida.

6. Não delete os e-mails recebidos após sua confirmação de compra. Eles são documentos, caso ocorra qualquer problema, você tem como comprovar.

7. Pagamentos por boleto bancário geralmente tem desconto de 10%.

8. Caso tenha alguma demora na entrega, entre em contato com a loja pelo sac ou redes sociais e se nada for feito a respeito, abra uma reclamação no Reclame Aqui.

9. Se recebeu o produto e não ficou satisfeito, você tem pela Lei 8078/90 (Código de Defesa ao Consumidor – artigo 49) até 7 dias úteis após o recebimento do produto para solicitar a troca. A loja vai encaminhar no seu e-mail um Código de Autorização de Postagem (e-ticket) para despachar nos Correios o que você deseja devolver.

10. Você pode pedir reembolso, trocar por outro produto ou ganhar créditos na loja. Lembrando que após o reenvio, o produto será analisado para ver se sua reclamação procede, caso contrário, será reenviado.

Com precaução, a Internet oferece muitas vantagens, ainda mais hoje em dia que nosso tempo é tão escasso. Boas compras!