Instagram VS Snapchat: A briga pela audiência


posts_blog_adi

 
Na última terça-feira, dia 02/08, o Instagram lançou um recurso já bem conhecido pelos usuários do Snapchat. Agora, a pessoa pode postar fotos ou vídeos para todos ou alguém específico e os mesmos ficam temporariamente publicados: 24h.

Todo mundo percebeu a cópia descarada, mas a nova utilidade está agradando, visto que muitos ainda não usam o Snapchat, que se tornou uma ameaça para a turma do Zuckerberg. Com essa nova funcionalidade, é possível verificar quem visualizou suas atualizações e conhecer quem é o seu público-alvo, podendo então, mensurar e bolar novas estratégias de publicação.

Primeiramente, o Facebook comprou o Instagram ao perceber o crescimento exponencial do aplicativo e a diminuição de tempo gasto na plataforma do Facebook. Os jovens dos EUA, começaram a abandonar o FB para usar outros meios, como Instagram ou Whatsapp, aplicativos que acreditavam ter maior privacidade e controle de quem visualiza seu conteúdo. Veio a nova onda, com a explosão do Snapchat. Cansados das poses e filtros do Instagram, o aplicativo se popularizou pelo jeito mais espontâneo e pela possibilidade de mostrar mais a vida real, além dos filtros lúdicos, que traziam diversão.

O Facebook tentou comprar o Snapchat por 3 bilhões de dólares, mais que o dobro que pagou pelo Instagram, mas teve a oferta recusada. Hoje, o Snapchat vale 19 bilhões e entrou na mira do FB. Agora, com a possibilidade de gravar fotos e vídeos do dia a dia, usuários do Snapchat estão voltando para o Instagram, já que é mais fácil usar um aplicativo só. Com isso, o tempo gasto no Instagram vai aumentar, contribuindo com a monetização do aplicativo com a inserção de mais publicidade.

No mundo do Marketing Digital, as coisas acontecem num piscar de olhos e é preciso estar atento às mudanças e se adaptar rapidamente para não perder o market share.

Como será o Facebook no futuro?

Facebook no futuro
Facebook no futuro

O Facebook não é somente uma rede social, é uma plataforma de conteúdo e líder de audiência. E como tudo em tecnologia evolui, o Facebook também muda constantemente. E como será em um futuro próximo?

Segundo tuitou Jason Stein (CEO de uma agência de publicidade de social media), o Facebook está adicionando um feed com base em interesses pessoais. Um jornal feito de conteúdos especializados, composto de todos os jornais do mundo.

Esta é uma visão previamente articulada pelo CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, que uma vez disse que esperava que sua plataforma fosse um perfeito jornal personalizado para cada pessoa do mundo. Texto, fotos e links externos ainda são a principal fonte de conteúdo compartilhado na rede. Em 2004, proclamou que em cinco anos, vídeo seria o formato de conteúdo dominante, visto que o custo de produção está caindo e a oferta de banda larga aumentando. Se as pessoas querem consumir estes vídeos, é ainda uma questão em aberto.

O Facebook, com sua poderosa ferramenta de algoritmo, vem tentando descobrir nossos gostos pessoais com base na nossa interação, no que nossa rede de contatos está interessada e em outros fatores. Esta mudança vai melhorar a experiência do usuário, já que as pessoas vão ver os assuntos que mais gostam, com conteúdo mais relevante, passando a gastar mais tempo na plataforma.